Menos “achismo” e mais técnica – Priorização pelo ROI

Olá Pessoal

Na preparação de projetos ágeis, antes do start oficial da codificação, é necessário estabelecer o MVP (Minimum Viable Product) para iniciar o desenvolvimento de um potencial entregável estabelecido nas iterações acordadas. É preciso construir o Product Backlog e refinar gradativamente seus itens de acordo com a prioridade atribuída.

Neste momento, meu caro amigo PO, você precisa estar ciente que há uma grande expectativa do seu trabalho para a fluidez do projeto.

O time aguarda ansiosamente por suas definições para então ajudar a construir o Sprint Backlog e iniciar as Sprints. Enquanto isso o cliente cobra prazos e deseja o produto.

Então PO, antes de começar é preciso refletir nas suas atribuições e responsabilidades. É seu papel:

Ser um visionário: Entenda que o time vai se guiar pela visão que você der a eles de aonde vão chegar e isso precisa estar atrelado a expectativa do cliente

Negociar: Entenda que negociação não é simplesmente dizer que não dá ou impor uma forma de acontecer. Lembre-se que o melhor jeito de resolver situações de conflito é através do modelo ganha-ganha.

Planejar as entregas: Você deve construir o quanto antes o roadmap do produto para que tenha a visão clara de para onde está indo e de onde já veio. Defina os marcos de suas releases e trabalhe entregando o quanto antes e continuamente.

Planejar Sprints: Monte as Sprints com atividades alinhadas com o cliente.

Validar entregas: Reviews são momentos importantes. Você ajudou a definir o conceito de pronto. É sua responsabilidade analisar se as entregas estão em conformidade.

Gerar e entregar valor para o cliente: Todo o seu trabalho só terá sentido se você estiver entregando valor ao seu cliente. Não trabalhe com a síndrome do PO. O cliente está lá para ser ouvido. Então, entenda o que ele quer e precisa.

Trabalhar com Foco Do Cliente (outside in): Busque o feedback constante. Ouça sempre a opinião do seu cliente. O foco tem que ser naquilo que de fato interessa mais a ele.

Encantar o cliente: Esteja sempre alinhado com a expectativa e entendendo bem as necessidades do seu cliente.

Priorizar o Product Backlog: Utilize técnicas e não trabalhe no achismo.

Alinhados com o seu papel e sabendo que para desenrolar todo andamento precisamos ter o backlog priorizado. Focaremos em como priorizar o PBL através de uma das diversas técnicas existentes, utilizaremos o Peso Relativo para priorização do backlog.

A técnica de peso relativo é uma abordagem para analisar aquilo que possui maior prioridade. Entendendo-se mais prioritário aquilo que possui o melhor retorno sobre o investimento, o famoso ROI. Em outras palavras esta pode ser a melhor abordagem para o PO lidar com clientes que não sabem por onde começar, onde tudo é prioridade. Através de um alinhamento estratégico o PO poderá demonstrar qual épico será o melhor a iniciar e por onde poderá definir o Produto Mínimo Viável. Desta forma evite o achismo quanto ao que deve ser iniciado nestas situações. Se tudo é prioritário, demonstre aquilo que de fato trará melhor retorno ao seu cliente naquele momento.

Dito isso, vamos entender melhor a abordagem.

Para obter seu MVP você deve estar de posse de alguns épicos e temas levantados com o seu cliente. Neste momento ainda não precisaremos de grandes detalhes, pois precisamos entender melhor estas necessidades.

Junto ao seu cliente defina qual o objetivo do projeto. Está informação irá ajuda-lo a identificar aquilo que gera valor. Liste em conjunto com o cliente aquilo que ele anseia de retorno com o projeto com base no objetivo.

Exemplo:

  • Redução de Custos
  • Aumento da satisfação do cliente
  • Aumentar as vendas
  • Aumentar a carteira de clientes
  • Obter reconhecimento do mercado, etc…

Em paralelo a este alinhamento o time precisa estimar inicialmente os épicos e temas que você já levantou com o seu cliente. Esta visão macro irá ajuda-lo a entender melhor sua priorização.

De posse destes levantamos vamos tabelar os dados para extrairmos algumas informações:

Atribua valores de 0 a 10, ou qualquer outro intervalo de forma crescente, na matriz que relaciona os épicos com os valores. As colunas seguintes tratam apenas do somatório destes pesos e o percentual que representam quanto ao total. Na coluna de estimativa coloque o que foi analisado pelo time. O custo é o percentual dessa estimativa.

Por fim, teremos a prioridade que nada mais é que o ROI. É calculado da seguinte forma:

ROI = Benefício/Custo

Analisando nosso exemplo podemos entender que o épico de integração de mídias sociais é o mais prioritário quanto ao custo benefício. Logo, este será um recurso de entrega mais rápida e de melhor investimento.

Perceba que em nosso exemplo este item não é o de maior benefício. Contudo, a técnica também leva em consideração o custo proporcional, ou seja, não adianta o item representar o percentual elevado quanto ao seu benefício tendo um custo elevado. A ordenação de priorização acontecerá em função dos itens que apresentarem o maior equilíbrio quanto ao benefício e o custo.

Então, lembre-se que esta não é a única solução para priorização. Existem diversas técnicas e abordagens onde cada uma pode ser utilizada conforme a necessidade do projeto. O importante é estar familiarizado com o maior número que puder e aplicar aquela que for mais conveniente de acordo com a situação.

Deixe seu comentário, curta e compartilhe se puder.

Abraço!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s